Notícias

Prêmio Homem Total 2019 homenageou o saudoso Manoel Gumercindo Marques (Mané)

Homenagem

14:15:17, JUL 07, 2019 Atualizada em 15/07/2019 às 14:07:06 Fonte: arquivo
Manuel jamais será esquecido

 

Ele faleceu no dia 11 de outubro em um grave acidente na Rodovia Fábio Talarico, que liga Franca a São José da Bela Vista. Uma colisão frontal envolvendo dois veículos, uma Strada e um Vectra, matou o vereador e presidente da Câmara de Piumhi, Manuel Gumercindo Marques (PR), 56. Outras três pessoas ficaram gravemente feridas e foram encaminhadas para a Santa Casa de Franca. Ele deixou muitas saudades em nosso coração! Todos conheciam pelo seu jeito carinhoso de ser! Caridoso e de um grande coração! Nunca negou nada a ninguém! Por isso sua passagem foi tão rápida pela terra! No texto a baixo a jornalista Lidi Siles faz um poema de despedida a esse grande Homem que sempre nos inspirou ser melhor! 

 

Será sempre Mané

Ele nasceu Mané, cresceu Mané e morreu Mané. Uma figura tão querida e estimada na cidade que deixou Piumhi triste e enlutada na manhã do domingo, 11 de outubro de 2009, véspera de um feriado.

        Eram tão especial que de Manoel Gumercindo Marques passou a ser Mané Bicheiro tornou-se Mané de Novo, e de novo e de novo. E por três vezes consecutivas ocupou uma das cadeiras do Legislativo, a qual atualmente chegou à presidência. Um presidente que na maioria das vezes dispensava trajes sociais e se apresentava de um jeito simples e sem muita cerimônia que chegava misturar-se ao povo com seu jeito sempre Mané de ser.

        Era daqueles que fazia caridade e ajudava ao próximo, mas não fazia questão de que esse ato o fizesse maior e nem melhor ou o levasse à primeira página dos jornais. E não é porque agora faleceu que tornou-se um homem bom, ele já o era aqui no nosso meio.

        Tinha intimidade até com a bicharada, vocação essa que rendeu-lhe um apelido carinhoso e as correntes de ouro que carregava no pescoço. Era Mané do povo, Mané de todos, e agora passou a ser Mané de Deus. Como diria Ed Mota “Manuel foi pro céu”.

        A verdade é que a cidade teve uma grande perda, não só do homem, mas do político, que mesmo sendo ‘político’ pensava no crescimento do município e esteve à frente de projetos importantes que beneficiaram a população.

        Mané era a cara do povo piumhiense. Trazia consigo o carisma dos que nascem na cidade carinho e a simplicidade de uma população que tem esperança de um futuro melhor. Ed Mota fez a música sem conhecer o personagem, mas sabia “que se ele fosse um político a vida não seria assim. Oh não”.           

Comentários

Voltar

Veja também