Notícias

Lar São Francisco pede ajuda para manter atendimento

O Lar São Francisco está passando por uma situação financeira

15:30:44, ABR 04, 2020 Atualizada em 30/04/2020 às 15:04:41 Fonte:
Mais uma vez o Lar São Francisco está passando por uma situação financeira delic

Neste momento de pandemia, uma das instituições que não podem parar são aquelas que promovem acolhimento de crianças e adolescentes afastados judicialmente de suas famílias. Em Piumhi, o Centro de Convivência Ramiro Júlio Ferreira e Vó Ana, conhecido por Lar São Francisco de Assis, é uma dessas instituições. Diante dessa situação, o Lar São Francisco tem passado por dificuldades financeiras agravadas pela crise. “Mais uma vez o Lar São Francisco está passando por uma situação financeira delicada, assim como várias outras instituições e empresas do Brasil e do mundo”, afirmou o diretor da entidade, Juliano Mendonça.

Apesar de reconhecer que o problema não é exclusivo desta instituição, Juliano ressalta que a situação é ainda mais delicada com o Lar São Francisco. Isso porque, diferente de outros locais, no Centro de Convivência não é possível alterar as atividades para reduzir gastos. “Nesse momento, não tem aulas, não tem creches e nenhuma outra instituição está aberta”, afirmou ele. Dessa forma, sem o acolhimento do Lar São Francisco, as crianças estariam completamente desamparadas. “O Lar São Francisco de Assis está atendendo todas as crianças porque lá é um órgão de assistência a crianças que foram afastadas judicialmente de suas famílias, ou seja, lá é a casa dessas crianças”, disse o diretor.

Como ajudar

Hoje em dia, os repasses recebidos dos governo federal, estadual e municipal não são o suficiente para o custeio e manutenção da instituição. Foram realizados vários eventos ao longo dos anos para completar a renda, porém, com a pandemia, foi necessário suspendê-los. “Tivemos que suspender, por exemplo, o nosso jantar que aconteceria agora no início de Maio. Nós tínhamos uma perspectiva de receita, comparando com os anos anteriores, de cerca de R$ 25 mil”, afirmou Juliano. Apesar da falta de recursos, o diretor garantiu os alimentos e vestuários não são necessários. “Felizmente, a cidade carinho (Piumhi) é muito solidária”, agradeceu ele, “porém o pagamento dos funcionários será um sério problema”, disse.

O diretor concluiu que os profissionais da instituição necessitam estar motivados e satisfeitos, pois estão lidando diariamente com crianças em situação de vulnerabilidade. Para ajudar, basta depositar na conta-corrente do Lar São Francisco, número 15048 digito 7, pela agência 3119 do Banco Sicoob Credifor. Mais informações, entre em contato por WhatsApp pelo número: (37) 99988-7215.

Fonte: Folha da Manhã

Comentários

Voltar

Veja também